Crema fritta

Li o nome crema fritta no livrão da Marcella e pensei numa lambuzeira difícil de segurar com garfo e faca, pecadinho pra se comer rápido e escondido. Não acreditei. Seria mesmo um doce cremoso e frito? Marcella Hazan entregando-se à esbórnia de açúcar e óleo? Será que aquela história de a Nigella Lawson empanar uma barra de chocolate vinha daí?

Pelo sim, pelo não, crema fritta é exatamente o que parece: um creme frito. Na receita de Marcella, é um creme inglês com menos ovo, sem a baunilha e com raspas de limão, levado à geladeira para ficar firme, depois cortado em losangos ou cubinhos, empanado em farinha de rosca (não muito escura) e frito em óleo. Açúcar de confeiteiro por cima, comido quente pro recheio sair líquido. Há versões dessa receita aqui e ali.

Nível de dificuldade: mínimo. Ingredientes fáceis de encontrar em qualquer mercado.

Photo

Petisquinho doce comum na região da Bolonha, a crema fritta é servida lá como aperitivo ou sobremesa, mas também vai à mesa junto do bollito misto, um prato piemontês tão famoso quanto farto (carnes de vitela, vaca, miúdos e galinha cozidas e fatiadas antes de ir à mesa), ou com o fritto misto, um mexidão de frutas, legumes e carnes fritas.  Come-se de qualquer jeito, vai com tudo.

Comer puro, direto do prato coberto com papel-toalha, é uma delícia. Matei uns 6 pedacinhos desse jeito, da primeira vez. Com açúcar por cima, pode até acompanhar a hora do café e um chá à noite, mas os italianos sabem das coisas: a presença do limão e o açúcar comedido transportam a receita para qualquer contexto. Lembra o efeito da banana-frita com arroz e feijão.

FullSizeRender

CREMA FRITTA
(serve 6 pessoas)

2 ovos + 1 ovo para empanar
1/2 xícara de açúcar cristal
1/2 xícara de farinha de trigo
2 xícaras de leite
2 tiras de casca de limão sem a parte branca
farinha de rosca fina seca para empanar
óleo vegetal

1 Com um batedor de arame, misture bem os 2 ovos ao açúcar dentro de uma panela de fundo grosso (ou use um recipiente para fazer um banho-maria). Acrescente a farinha pouco a pouco, até incorporá-la totalmente.

2 Ferva o leite numa panelinha. Assim que levantar bolhas, adicione o leite aos ovos, um pouco por vez, mexendo sempre, e por fim as tiras de limão. A receita de Marcella pede tiras; fiz com raspinhas de limão para ficar mais saboroso – até porque ela não pede para tirar as raspas depois.

3 Leve à mistura ao fogo bem baixo, mexa com firmeza e devagar, tomando cuidado para não cozinhar muito a farinha de trigo, evitando que empelote (se preferir, faça em uma panela de banho-maria), “até obter um creme denso e macio, sem gosto de farinha, o que deve demorar mais ou menos 20 minutos”.

4 Quando pronto, espalhe o creme numa fôrma baixa (evite as de borda larga, para ficar fácil de cortar depois), numa espessura de mais ou menos 2,5 cm. Deixe esfriar – a receita pode ser finalizada horas depois ou mesmo no dia seguinte. Cubra com filme de PVC, se quiser fazer depois.

5 Com uma faca molhada, corte o creme em losangos pequenos (Marcella recomenda peças de 5 cm; fiz menores). Na empanada, bata o ovo em um prato fundo – um ovo pode ser pouco; tenha mais alguns, se precisar – , passe os pedaços pela farinha de rosca, depois pelos ovos e em seguida novamente pela farinha de rosca. Leve para fritar em óleo vegetal bem quente, virando os pedaços para ganhar uma crosta dourada bonita. Escorra em papel absorvente e sirva polvilhado de açúcar de confeiteiro, se a ideia for comer como sobremesa.

Dificuldade: fácil
Precisa de quê? Fogo e geladeira
Tempo:
30 min + o tempo para o creme gelar

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s